segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Fazendo uma social! Motivos para comemorar!



Fazendo uma social! Motivos para comemorar!


Dizy Ayala
29 de setembro de 2014

Sim, quem não gosta de uma reunião entre amigos, ainda mais quando em torno de uma mesa farta e saborosa?
Isso é um valor humano e universal! Nos transmite sentimento de prosperidade material e afetiva!
Também os veggies e vegans gostam de confraternizar e degustar boa comida!

Há um mito de que esta é uma tradição exclusiva daqueles que apoiam sua alimentação em derivados animais! O churrasco de domingo, piquenique com hot-dogs, comer um pastel de carne ou aquele rodízio de pizza calabresa!



Todos esses programas são comuns para qualquer um de nós, a única diferença é que para vegetarianos e veganos, a comida não só como um capricho do paladar, tem também um compromisso com a vida e um respeito pelo que é alimento. Partindo do princípio de que o animal não é comida, ele sai do cardápio e acredite ninguém passa fome! Não comemos só alface! Verduras, legumes e frutas são sim a base da dieta porque são saudáveis e também porque são uma delícia! Talvez a maioria das pessoas só precise experimentar! E antes que alguém questione sobre o sofrimento dos vegetais, não, não há dor no reino vegetal! Basta parar pra pensar que ninguém irá dizer: Vou matar um pé de alface, caçar umas batatas ou carnear um cogumelo! Os alimentos da terra são cultivados e são colhidos! E a terra é generosa e abundante na oferta de grãos, cereais e vegetais. Muitos deles inclusive quando preparados tem consistência, aparência e sabor similares ao que carnistas estão habituados a comer. É a chamada carne vegetal! Sim, porque o que efetivamente apreciam é o sabor dos temperos, não há gosto bom em uma carne morta, crua e sem tempero.


Sem revanchismo, verdade seja dita, são os veggies e especialmente os vegans que também retiram o leite da vaca, seus derivados e os ovos da dieta, que estão no curso natural das coisas. Porém são eles que costumam ser apontados como estranhos,  chatos e inconvenientes. Vai comer o que então? Especialmente aqui no Rio Grande do Sul, somos até mesmo expatriados! Se não come churrasco, não é gaúcho! Até hoje fico curiosa para saber qual o nome dado a esse tipo de fobia! Sim porque é mais fácil discutir sobre o racismo e a homofobia, do que ser aceito como aquele que retirou a violência do prato!

Entretanto os bons ventos da mudança começam a soprar! À medida que mais pessoas se afirmam em suas escolhas, sem se deixar anular ou esconder e passam a se reunir, somos reconhecidos como uma parcela importante da população e que sim, não é um inconveniente, e sim é gente como todo mundo, com uma visão de respeito à vida, sem especismo (julgar que uma espécie, a humana, prevalece sobre as outras) e que por isso mesmo, como amantes da vida, celebramos!

Este mês de setembro, está marcado como um mês promissor! Floresceram muitas iniciativas importantes para a afirmação do movimento pela vida! Em São Paulo, aconteceu o 1° Bazar Vegano, com extensa variedade de itens sem crueldade, desde a coxinha até o xampu! Evento similar aconteceu em Brasília, com o 1° Festival Vegano, oportunizando a mais pessoas tomar conhecimento dessas opções de consumo!

Aqui no Rio Grande do Sul, tivemos a felicidade de realizar a Marcha Vegatariana e Vegana, em plena Semana Farroupilha! Antigas tradições pautadas na exploração animal estão aí para serem revistas e modificadas! Que se mantenha o churrasco, desde que seja de seitan (bife de glúten) ou de shitake (cogumelo carnudo)! Que se mantenha o artesanato e a vestimenta com peles artificiais e couro vegetal. É possível fazer tanta arte em bambu ao invés do couro morto de um animal assassinado! Que as gineteadas e montaria sejam todas em touro mecânico! É esse o desejo para as futuras gerações, que a mão da criança que afaga o animal, cresça e mantenha a afeição e o respeito à vida! Esse é um movimento pela paz e pela saúde física e mental de todos nós! As pessoas têm muito a ganhar quando rompem com o ciclo da violência. Elas se tornam mais humanas e em unidade com o todo! Se preserva a natureza, a saúde e as boas relações, em um outro nível de respeito e humildade! Não somos donos da natureza, somos parte e estamos aqui só de passagem!


E para celebrar esses valores e apreciar o bom gosto das coisas simples, confraternizamos no Veganique na Redenção!  Se foi o primeiro, não sei! Mas foi o primeiro que promovi e participei! 







Deliciosos hambúrgueres, saboroso bolo sem ovo, nem leite(quebrando o mito de que não cresce e não fica gostoso), salada de frutas, sucos, pastéis de carne de soja, tortinhas salgadas, tomates secos e tofu e doces de maçã, pipoca e batata frita (os melhores salgadinhos que existem!), cookies  e balinhas de goma agar agar (alga marinha)!  Só de lembrar já fiquei com água na boca!





E com esse gostinho de coisa boa que desejo que mais e mais ações aconteçam para a apreciação daqueles que já aderiram ao bom paladar e a todos que estão abertos a experimentar novos sabores e fazer uma escolha pela vida!




    Gratidão!









Defensora e Ativista dos Direitos dos Animais,
Formanda em Publicidade e Propaganda
Blogueira, Vegana.
Grupo Ação pelos Direitos dos Animais  no facebook



Dizy Ayala
Ação pelos Direitos dos Animais

Um comentário:

  1. Dizy,

    Muito legal seu post. Gostei da imagem dos animais sendo felizes à sua maneira. Não temos o direito de tirar a alegria e a vida deles.

    Abraços,

    ResponderExcluir