segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Fazendo uma social! Motivos para comemorar!



Fazendo uma social! Motivos para comemorar!


Dizy Ayala
29 de setembro de 2014

Sim, quem não gosta de uma reunião entre amigos, ainda mais quando em torno de uma mesa farta e saborosa?
Isso é um valor humano e universal! Nos transmite sentimento de prosperidade material e afetiva!
Também os veggies e vegans gostam de confraternizar e degustar boa comida!

Há um mito de que esta é uma tradição exclusiva daqueles que apoiam sua alimentação em derivados animais! O churrasco de domingo, piquenique com hot-dogs, comer um pastel de carne ou aquele rodízio de pizza calabresa!



Todos esses programas são comuns para qualquer um de nós, a única diferença é que para vegetarianos e veganos, a comida não só como um capricho do paladar, tem também um compromisso com a vida e um respeito pelo que é alimento. Partindo do princípio de que o animal não é comida, ele sai do cardápio e acredite ninguém passa fome! Não comemos só alface! Verduras, legumes e frutas são sim a base da dieta porque são saudáveis e também porque são uma delícia! Talvez a maioria das pessoas só precise experimentar! E antes que alguém questione sobre o sofrimento dos vegetais, não, não há dor no reino vegetal! Basta parar pra pensar que ninguém irá dizer: Vou matar um pé de alface, caçar umas batatas ou carnear um cogumelo! Os alimentos da terra são cultivados e são colhidos! E a terra é generosa e abundante na oferta de grãos, cereais e vegetais. Muitos deles inclusive quando preparados tem consistência, aparência e sabor similares ao que carnistas estão habituados a comer. É a chamada carne vegetal! Sim, porque o que efetivamente apreciam é o sabor dos temperos, não há gosto bom em uma carne morta, crua e sem tempero.


Sem revanchismo, verdade seja dita, são os veggies e especialmente os vegans que também retiram o leite da vaca, seus derivados e os ovos da dieta, que estão no curso natural das coisas. Porém são eles que costumam ser apontados como estranhos,  chatos e inconvenientes. Vai comer o que então? Especialmente aqui no Rio Grande do Sul, somos até mesmo expatriados! Se não come churrasco, não é gaúcho! Até hoje fico curiosa para saber qual o nome dado a esse tipo de fobia! Sim porque é mais fácil discutir sobre o racismo e a homofobia, do que ser aceito como aquele que retirou a violência do prato!

Entretanto os bons ventos da mudança começam a soprar! À medida que mais pessoas se afirmam em suas escolhas, sem se deixar anular ou esconder e passam a se reunir, somos reconhecidos como uma parcela importante da população e que sim, não é um inconveniente, e sim é gente como todo mundo, com uma visão de respeito à vida, sem especismo (julgar que uma espécie, a humana, prevalece sobre as outras) e que por isso mesmo, como amantes da vida, celebramos!

Este mês de setembro, está marcado como um mês promissor! Floresceram muitas iniciativas importantes para a afirmação do movimento pela vida! Em São Paulo, aconteceu o 1° Bazar Vegano, com extensa variedade de itens sem crueldade, desde a coxinha até o xampu! Evento similar aconteceu em Brasília, com o 1° Festival Vegano, oportunizando a mais pessoas tomar conhecimento dessas opções de consumo!

Aqui no Rio Grande do Sul, tivemos a felicidade de realizar a Marcha Vegatariana e Vegana, em plena Semana Farroupilha! Antigas tradições pautadas na exploração animal estão aí para serem revistas e modificadas! Que se mantenha o churrasco, desde que seja de seitan (bife de glúten) ou de shitake (cogumelo carnudo)! Que se mantenha o artesanato e a vestimenta com peles artificiais e couro vegetal. É possível fazer tanta arte em bambu ao invés do couro morto de um animal assassinado! Que as gineteadas e montaria sejam todas em touro mecânico! É esse o desejo para as futuras gerações, que a mão da criança que afaga o animal, cresça e mantenha a afeição e o respeito à vida! Esse é um movimento pela paz e pela saúde física e mental de todos nós! As pessoas têm muito a ganhar quando rompem com o ciclo da violência. Elas se tornam mais humanas e em unidade com o todo! Se preserva a natureza, a saúde e as boas relações, em um outro nível de respeito e humildade! Não somos donos da natureza, somos parte e estamos aqui só de passagem!


E para celebrar esses valores e apreciar o bom gosto das coisas simples, confraternizamos no Veganique na Redenção!  Se foi o primeiro, não sei! Mas foi o primeiro que promovi e participei! 







Deliciosos hambúrgueres, saboroso bolo sem ovo, nem leite(quebrando o mito de que não cresce e não fica gostoso), salada de frutas, sucos, pastéis de carne de soja, tortinhas salgadas, tomates secos e tofu e doces de maçã, pipoca e batata frita (os melhores salgadinhos que existem!), cookies  e balinhas de goma agar agar (alga marinha)!  Só de lembrar já fiquei com água na boca!





E com esse gostinho de coisa boa que desejo que mais e mais ações aconteçam para a apreciação daqueles que já aderiram ao bom paladar e a todos que estão abertos a experimentar novos sabores e fazer uma escolha pela vida!




    Gratidão!









Defensora e Ativista dos Direitos dos Animais,
Formanda em Publicidade e Propaganda
Blogueira, Vegana.
Grupo Ação pelos Direitos dos Animais  no facebook



Dizy Ayala
Ação pelos Direitos dos Animais

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Marcha Vegetariana em Porto Alegre l RS l Brasil

Domingo, dia 14 de setembro de 2014, 
Porto Alegre/RS/Brasil foi palco da Marcha Vegetariana!

Marcha Vegetariana Porto Alegre/RS/Brasil
Dizy Ayala
14 de setembro de 2014

Em plena Semana Farroupilha, o Parque da Redenção em Porto Alegre/RS reuniu vários grupos: de proteção animal, grupo Ação pelos Direitos Animais, de ecologia, Compromisso Consciente, ambiental, grupo de ativistas do Greenpeace PoA, Sea Shepherd, nutricional, com o apoio de Viverde Orgânico (hortifruti orgânicos), Delivery Veg (produtos veganos), B Burguer (fast food vegano), ativistas e simpatizantes que uniram forças para trazer ao público a proposta de fazer a diferença pela escolha do que colocamos no prato!

























Tendo em vista que não há diferença fundamental quanto a senciência (capacidade de sentir dor) entre os animais tidos como de estimação e aqueles que costumam ser considerados apenas um ingrediente, lançamos o lema Uma Opção pela Vida Animal não é Comida!

O evento foi idealizado e criado no facebook por Nicolas Stivelman e organizado por Dizy Ayala e Juarez Rodolpho na criação e produção das artes da faixa, cartazetes e folhetos informativos. 


Destaque especial à participação da vaquinha!

Contando com a participação de mais de 200 participantes foram distribuídos ao longo da Marcha Vegetariana 5 000 folhetos abordando nosso poder pessoal de fazer escolhas diárias sem crueldade naquilo que usamos, vestimos, nos divertimos e comemos!


Dezenas de pessoas percorreram o espelho d'àgua do parque em direção ao Arco da Redenção




Diante de um grande público foi possível fazer uma intensa panfletagem!




saiba mais em A importância de nossas escolhas diárias de consumo

A recepção e acolhida das pessoas foi muito boa! Foi possível perceber a atenção dada a leitura do conteúdo apresentado no folheto. Destaque especial para a interação das crianças que naturalmente reconhecem os animais como seus amigos! Basta que alguns adultos façam a conexão e percebam que os personagens infantis Galinha Pintadinha e a porquinha Pepa são indicativos dessa amizade e que é preciso retirá-los do prato até por uma questão de coerência! Animais não são comida!

























Momento encantador! A garotinha que parou em frente à Marcha  para dançar com a vaquinha! 



Dia iluminado para novas ideias!

Seguindo pelo Brick da Redenção!

Nossa marcha ficou ainda mais animada com a presença do DJ e a dancinha da vaquinha!

Garotinho também entrou na dança! E deu show!

Interação total com as pessoas ao longo do percurso!

Ambiente descontraído e super alto astral!

Parabéns a todos que abraçaram a causa animal nessa tarde de domingo! Foi lindo demais! E através desse encontro de iguais, que vem de diferentes grupos, conseguimos multiplicar nossos ideais com muitos mais! O ideal de um mundo mais humano, gentil e fraterno entre pessoas e nossos amigos animais, com respeito à vida e compromisso com o equilíbrio da natureza, da qual somos parte e não donos! Sim, vamos seguir nossa conexão e propagar a Ação pelos Direitos Animais! Gratidão! 

Última foto antes da dispersão, depois de percorrer todo o Parque da Redenção
nessa tarde quente de domingo! E o que não faltou foi calor humano
e o forte desejo e propósito de propagar mais paz e amor!




Vídeo do Making off Marcha Vegetariana/RS/Brasil


Vídeo completo da Marcha Vegetariana Porto Alegre/RS/Brasil




Sugestão de video: Uma vida Interligada (A life Connected)









Defensora e Ativista dos Direitos dos Animais,
Formanda em Publicidade e Propaganda
Blogueira, Vegana.
Grupo Ação pelos Direitos dos Animais  no facebook




Dizy Ayala
Ação pelos Direitos dos Animais

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Você tem fome de que? Você come para matar a fome ou come para se nutrir?


Você tem fome de que?
Você come para matar a fome 
ou come para se nutrir?


Por Dizy Ayala

A missão primeira dos alimentos em nosso organismo é o de nutrição. É o nosso combustível para que possamos realizar nossas tarefas diárias, sejam elas físicas e/ou intelectuais. E para dispormos dessa energia e nos mantermos saudáveis e ativos é que o alimento precisa mais do que matar a fome, nutrir nosso organismo.

Diante de uma crescente industrialização dos alimentos e do próprio ato de comer, tornando-o cada vez mais rápido, mecânico, boa parte das pessoas tem se dissociado do prazer de uma alimentação saudável. Deixando de fazer uma importante reflexão sobre o que realmente está comendo e quais os efeitos dessas escolhas para sua própria saúde.


Conheça os 10 piores alimentos e aprenda a substituí-los

https://escolhapelavida.blogspot.com.br/2016/08/conheca-os-10-piores-alimentos-e.html

O resultado disso é um índice alarmante para as doenças advindas da má alimentação, como obesidade, índice elevado de colesterol, pressão alta, diabetes, problemas cardiovasculares, derrame cerebral e câncer. A população obesa e ao mesmo tempo mal nutrida tem crescido no mundo todo.

"Sete em cada dez doenças que surgiram nos seres humanos, nas últimas décadas são de origem animal e, em parte, diretamente relacionadas com a busca humana por mais alimentos de origem animal 
como carnes, laticínios e ovos". FAO

Os 4 principais grupos nutricionais a que devemos estar atentos para uma alimentação saudável são: proteína, carboidratos, vitaminas e sais minerais. Encontramos todos esses nutrientes nos alimentos cultivados na terra.


Programas nutricionais como o My Plate tem base no mais completo estudo da Universidade de Harvard, na atualidade. E tem sido divulgado por Michele Obama, nos Estados Unidos, um dos países que tem o desafio de fazer uma reeducação alimentar. Ele propõe um formato que sugere o fim do modelo da pirâmide alimentar, substituindo-o pelo prato, com as devidas porções para cada grupo de alimentos.





Nesse programa a ênfase está na riqueza dos nutrientes, para tanto há quatro regras principais:

  
1) Comer alimentos mais ricos em nutrientes

Destaque para a dica:
Preencha metade do seu prato – almoço ou jantar – com legumes, verduras, frutas e grãos integrais, que são naturalmente ricos em nutrientes.




             2) Comer menos alimentos sólidos e açúcar

Cortar a gordura e evitar o açúcar. Ficar atento aos rótulos e procurar por palavras-chave como xarope de milho, sucrose, açúcar e dextrose. Se você encontrar esses ingredientes, evite comer o alimento, ou coma com menor frequência. Pense nas sobremesas como comidas que não devemos comer todo dia, e sim em ocasiões especiais. Você pode reservar fins de semana para comer sobremesas. Ou então, redefina seu conceito de sobremesa: uma salada de frutas é tão doce e saborosa quanto uma torta.



3) Comer mais frutas todos os dias

 Apenas 40% da população ingere uma porção de fruta (2 xícaras) por dia, que é o recomendado para uma dieta saudável.
Pelo menos metade dessas frutas devem ser frescas. O restante pode ser em forma de suco de frutas natural (não pode ser de caixinha). Coma frutas como lanche, sobremesa, adicione-as em saladas e utilize suco das frutas no lugar de açúcar e xaropes.




4)      Vegetarianismo e veganismo são saudáveis!

Pela primeira vez as diretrizes alimentícias incluem um modelo para alimentação saudável vegetariana e vegana. “Ao examinarmos os vários padrões de dietas do mundo inteiro, reconhecemos que dietas vegetarianas fornecem todos os nutrientes essenciais de que precisamos para sermos saudáveis”, afirma Robert Post, diretor do Centro de Políticas e Promoção da Nutrição, do USDA. 
Para dietas veganas, nem mesmo há consumo de laticínios e ovos, uma vez que já se tem nos alimentos vegetais, as fontes de cálcio e proteína. De acordo com estudos recentes, como o da Universidade de Harvard, os laticínios são responsáveis por muitas das doenças alérgicas!



Saiba mais sobre o leite e seus derivados em 

Laticínios não fazem parte de uma alimentação saudável afirma estudo da Universidade de Harvard

http://acaopelosdireitosdosanimais.blogspot.com.br/2015/06/laticinios-nao-fazem-parte-de-uma.html

http://acaopelosdireitosdosanimais.blogspot.com.br/2014/08/o-que-ha-de-errado-com-o-leite-fraude.html

Quanto aos ovos, todos os que vem de granjas e são comercializados nos supermercados, tem adição de hormônios, antibióticos e a crueldade do confinamento das aves. Para paladares ovovegetarianos, prefira ovos orgânicos, com certificação de procedência. Nesses casos as aves são criadas em aviários, ao ar livre, sem alteração química.

Ainda com base no programa My Plate, segue:


"O que você pode fazer: Substituir carne, frango, porco e peixes por proteína de soja e tofu, além de outros grãos como feijões, lentilhas, quinoa, grão-de-bico, arroz integral, milho, etc. Dietas vegetarianas possuem a mesma ingestão de proteínas que dietas com carne, com as vantagens de diminuir os níveis de colesterol e incluir alimentos ricos em vitaminas, minerais, fibras e antioxidantes que uma pessoa que ingere carne não comeria normalmente".












Dizy Ayala
Ação pelos Direitos dos Animais 





Formanda em Publicidade e Propaganda
Defensora e Ativista dos Direitos dos Animais,
Blogueira, Vegana.
Grupo Ação pelos Direitos dos Animais  no facebook