sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Por que ser vegano?




Por que ser vegano?


Transcrito do video Envolve Campaigns
https://www.facebook.com/video.php?v=10152408911360334&set=vb.643370333&type=2&theater

Bom, vou tentar te responder de forma simples.
Sim, bem simples!

Então, basicamente, eu sou vegano
porque me importa a justiça!

Justiça por eles

70 bilhões de animais são mortos todo ano para alimentação

Justiça por eles

enquanto os cereais são destinaados para alimentação dos animais,
humanos passam fome


Eu sou vegano
porque isto está mal

E isto também


Eu sou vegano
Porque sei que isto e isto
(carne e leite)



Está mal por isto

E causa isto:

Enfermidades do coração
Câncer de mama, de colo
Ataques cardíacos
Câncer de estômago
Mal de parkinson
Esclerose múltipla
Osteoporose
Diabetes
Anemia
Mal de Chrohn
Alzheimer
Câncer de próstata

E mais
Eu sou vegano
Porque também me interessa isso
(planeta)


E quero deter isto
(desastres ambientais, seca, desmatamento, poluição de rios e solo)





E ver o fim disto


(abates e confinamento)

Porque não posso suportar a violência
E nenhuma classe
de crueldade

Sou vegano porque
Vegan= abundância
Sem privações



Deliciosa comida!
Fabulosas e inovadoras roupas da moda!
Luxuosos produtos Cruelty-free!

Eu estou em paz
comigo mesmo.



Porque estou fazendo o menor dano possível
Adoro ser amável!



Me encanta ser responsável
Me encanta ser respeitoso
com toda forma de vida!

E adoro ser vegano!
Isso diz tudo!
Então, compreendes agora?

Compaixão Não violência Pelas pessoas Pelo planeta Pelos Animais



Agora, que te disse porque eu sou vegano,
Podes me dizer porque tu não és?

É só começar!







Defensora e Ativista dos Direitos dos Animais,
Formanda em Publicidade e Propaganda
Blogueira, Vegana,
Grupo Ação pelos Direitos dos Animais  no facebook
dizyayala@gmail.com




Dizy Ayala
Ação pelos Direitos dos Animais




quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Céus, acabou a água! Enquanto isso, todos olham para os céus à espera de um milagre!


Céus, acabou a água! 
Enquanto isso, todos olham para os céus à espera de um milagre!

Dizy Ayala
30 de outubro de 2014

Crise no abastecimento de água tem tomado a manchete dos noticiários na última semana!
Com a falta d’água no Sistema Cantareira em São Paulo, a maior cidade do Brasil e da América Latina, sofre com o desabastecimento. 

Há cem anos, mais precisamente desde que tiveram início as medições, que o nível dos afluentes nunca esteve tão baixo. As reservas utilizadas são as chamadas do volume morto, e o primeiro nível já se esgotou!

O Sistema Cantareira corre sérios riscos de degradação ambiental, juntamente com o Parque do Horto Florestal, com a construção do Trecho Norte do Rodoanel, segundo alguns ambientalistas. O projeto do Rodoanel tem sido objeto de intensa controvérsia, por atravessar a Serra da Cantareira, temendo-se a possibilidade de comprometimento do Sistema Cantareira e do abastecimento de água da cidade de São Paulo em razão da obra. (como referido no artigo da Sabesp no link abaixo com base na bibliografia de SOLIA, Mariângela; FARIA, Odair Marcos; ARAÚJO, Ricardo. Mananciais da região metropolitana de São Paulo. São Paulo: Sabesp, 2007)


Não só a região metropolitana de São Paulo, como também a zona rural está sendo afetada, onde por medida de racionamento, os registros dos reservatórios das zonas rurais estão sendo fechados e extensas lavouras da produção de alimentos estão fadadas a  secar e se perder.

A crise do abastecimento da água acontece também no Rio Grande do Norte. E é a esta morte dos mananciais que temos assistido dia-a-dia, com a nascente do São Francisco secando. 

O que dizer da obra de transposição do Rio São Francisco?

O projeto, teoricamente, irrigaria a região nordeste e semiárida do Brasil. O principal argumento da polêmica dá-se sobretudo pela destinação do uso da água: os críticos do projeto alegam que a água será retirada de regiões onde a demanda por água para uso humano e dessedentação animal é maior que a demanda na região de destino e que a finalidade última da transposição é disponibilizar água para a agroindústria e a carcinicultura — contudo, apesar da controvérsia, tais finalidades são elencadas como positivas no Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) em razão da consequente geração de emprego e renda. Iniciada em 2007, a conclusão da transposição estava originalmente planejada para 2012, mas atrasos mudaram a data tentativa para 2015. Conforme a bibliografia de Coelho, M.A.T. Os Descaminhos do São Francisco. Editora Paz e Terra, 2005


Ou seja a água é desviada do consumo humano para abastecer as indústrias!

E no Rio Grande do Sul, onde o volume de chuvas no mês de outubro foi acompanhado de tempestades com muitos ventos, raios e granizo. Por conta da queda de árvores, descargas elétricas, inundações e destruição de muitas casas pelo granizo, foram 27 municípios afetados, com desabastecimento de energia elétrica e água.

Mudanças Climáticas poem em risco segurança hídrica na América do Sul!


O tempo está contra nós?
O que fazer diante das mudanças climáticas?

A mídia segue afirmando que a estação da primavera é propícia para desajustes no clima.
O governo afirma que não há crise energética e que o racionamento é a solução, aliás, a única proposta até agora!

No Protocolo de Quioto, de 1998, vigente desde 2005, o mundo foi informado sobre as mudanças climáticas e o quanto os governos precisariam adotar medidas para se preparar para essas mudanças. O que se vê são os braços cruzados das autoridades em quanto se cobra da população reduzir o consumo e enquanto isso todos olham para os céus à espera de um milagre!

A verdade mais do que inconveniente que nenhum veículo de comunicação (a não ser a internet) e nenhum governo quer abordar é que a principal responsável pela alteração do clima, a degradação do meio ambiente e a falta de água é a indústria da carne (a pecuária).

Atente para os dados:

80% da Amazônia, pulmão do mundo, vem sendo dizimada para gerar zonas de pastagem para a criação de gado.


70% também da água dos reservatórios é destinada para a produção de carne e no que diz respeito à produção de leite, os números são alarmantes.



Enquanto que a indústria pecuarista financia campanhas eleitorais e você é convencido que  o consumo de alimentos de origem animal são uma necessidade, toda população está cada vez mais refém dessa engrenagem fadada ao fracasso. O fato é que a insustentabilidade desse modelo só irá se afirmar à medida que mais cidades terão problemas no fornecimento de água e produção de alimentos.


E o leite, ah o leite e seus derivados!

Você sabia que uma das razões de o consumidor ser tão fiel a este produto é pelos aditivos químicos que ele contém! Sim porque não há explicação lógica para que humanos sigam tomando leite, mesmo depois de adultos, e de outra espécie. As pessoas são informadas sobre a adulteração do leite e seguem comprando como se a restrição fosse sobre esses lotes específicos. É lógico que nesses lotes, os índices são mais elevados, mas em todo leite está contido hormônios e antibióticos. O leite, e seus derivados, é fruto da exploração das vacas que tem cio induzido, produção estimulada e por adoecerem são permanentemente administrados antibióticos e até mesmo morfina! Isso mesmo morfina, remédio de pacientes terminais, da cruel indústria do leite, direto para o seu copo, onde você fica viciado e não há nutrição!




Esse mesmo veneno tem sido dado às criancinhas, como base na alimentação, atuando sobre a formação e desenvolvimento dos pequenos. Não é de surpreender que haja tantos casos clínicos relatados nos dias de hoje, comprovadamente associados ao consumo de produtos industrializados, todos a base de leite. Talvez por isso cresce também o número de pessoas intolerantes à lactose!

O horizonte que se apresenta pelas políticas públicas ou falta delas, não é nada animador! Uma população doente e carente de nutrição. Redução dos alimentos potencialmente nutritivos quando o incentivo aos industrializados! Perda dos potenciais energéticos que se esgotam pela desenfreada ganância das grandes corporações que desejam o lucro a qualquer preço.

É urgente que se criem novos hábitos e se ampliem os horizontes.
Não adianta fechar a torneira e reduzir o banho a 5 minutos e seguir com o consumo diário de carne.
Aliás, o gasto de água para produção de 1 bife equivale a 50 banhos!

No mundo todo, há pessoas dispostas a discutir e mudar seu consumo.
Campanhas como a Segunda sem Carne são um exemplo  de experimentar alimentos vegetais, grãos e a imensa gama de produtos alternativos à carne animal, que são as carnes vegetais.


O consumo dos orgânicos é outra medida de afirmação do pequeno produtor das pequenas propriedades que oferece alimento saudável sem degradar o ambiente como o fazem as grandes corporações.



Repense seus hábitos! O jogo é com você e suas escolhas de consumo!
Cada escolha uma consequência! Você pode optar por mais qualidade de vida, melhorando a sua saúde e compactuando com modos de produção mais pró ativos e sustentáveis para as próximas gerações!




Assista e se surpreenda com o que somos capazes de prevenir 
apenas transformando nossos hábitos alimentares!



Saiba mais sobre a pesquisa de Harvard e o Programa Nutricional My Plate
recomendado pela ONU e divulgado por Michele Obama (1a dama americana)
http://acaopelosdireitosdosanimais.blogspot.com.br/2014/09/voce-tem-fome-de-que-voce-come-para.html






Defensora e Ativista dos Direitos dos Animais,
Formanda em Publicidade e Propaganda
Blogueira, Vegana.
Grupo Ação pelos Direitos dos Animais  no facebook



Dizy Ayala
Ação pelos Direitos dos Animais

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

A lição que nos ensina a criança. É preciso recordar!

A lição que nos ensina a criança. É preciso recordar!

 Por Dizy Ayala

A infância é aquela fase da vida em que somos mais autênticos, inocentes e sem reservas. Nessa época, estamos mais abertos ao convívio e relacionamento com todos, indistintamente. A criança se relaciona mais facilmente sem incorrer em alguns preconceitos apresentados pelo mundo adulto, como o racismo, o sexicismo e o especismo.


O sentimento é genuíno e incondicional! As diferenças não são excludentes, aliás, na maioria das vezes, não são nem mesmo percebidas!

A criança dedica o afeto ao ser que lhe cativa e sua interação é com todos os reinos! Ela é capaz de demonstrar afeto pelos seus familiares, amiguinhos, da mesma forma que é capaz de amar uma plantinha, um inseto ou um outro animalzinho qualquer.

Os grandes heróis não carregam armas,
não incitam a guerra e a intolerância...
Os grandes heróis estão vestidos de amor,
com simplicidade vivem suas vidas,
promovendo paz e harmonia.

É possível ver o quanto a sensibilidade humana está presente nas crianças, de maneira natural. É com o passar dos anos, que pela influência da cultura, valores e crenças, que essa criança pode moldar-se e perder esses seus valores de fraternidade!



Por mais que a sociedade tenha enfatizado modelos de consumo desenfreado, violência e descompromisso e até mesmo desafeto para a nova geração, sacrificando sim a inocência de muitas crianças corrompidas por esse desamor, há um crescente e surpreendente movimento de jovens inovadores que, sob o olhar de pais mais atentos, tem permitido aflorar verdadeiros exemplos de compaixão e a proposta de um mundo mais pacífico e gentil com todos os seres.



A cada dia que passa temos mais exemplos de que a nova geração está aberta a princípios de unidade e fraternidade com a natureza e os diversos seres. Elas motivam e cativam por seu exemplo de ação transformadora, pacífica e engajada com o todo que as circunda. 



"...A criança que vive com afeição aprende a amar.
A criança que vive com estímulo aprende a confiar.
A criança que vive com a verdade aprende a ser justa.
A criança que vive com o elogio aprende a dar valor.
A criança que vive com generosidade aprende a repartir.
A criança que vive com o saber aprende a conhecer.
A criança que vive com paciência aprende a tolerância.
A criança que vive com felicidade conhecerá o amor e a beleza."
Ronald Russel
...é ensinando que se aprende a AMAR!!







Defensora e Ativista dos Direitos dos Animais,
Formanda em Publicidade e Propaganda
Blogueira, Vegana.
Grupo Ação pelos Direitos dos Animais  no facebook



Dizy Ayala
Ação pelos Direitos dos Animais