sábado, 13 de fevereiro de 2016

Oceanos, a indústria pesqueira e a 6ª era da extinção


Oceanos, a indústria pesqueira e a 6ª era da extinção



Por Dizy Ayala
13 de fevereiro de 2016


"Já nos esquecemos que os oceanos costumavam estar cheios de vida.
Baleias, golfinhos e tartarugas marinhas eram comuns e abundantes.
Existiam tantos cardumes de peixes que as águas eram um autêntico turbilhão de vida. Mas agora... os nossos oceanos estão morrendo".
Philip Wollen (produtor de Terráqueos)

A indústria pesqueira provocou um declínio global nas populações de peixe, levando-as quase à extinção em muitas partes do oceano.
Enormes redes com quilômetros de comprimento varrem as profundezas dos oceanos capturando e sufocando indiscriminadamente todos aqueles que encontram no caminho.
Tartarugas, focas, golfinhos, baleias e bilhões de peixes.





imagens
Pesca de arrasto de profundidade

E os viveiros de peixe industriais estão criando zonas mortas. Enormes quantidades de resíduos concentrados provenientes destes viveiros industriais asfixiam o leito oceânico e toda a vida aí existente.

Enquanto isso, acordos como os dos EUA e Japão no fornecimento de carne de baleia são mantidos.

A caça nos oceanos revela imagens aterradoras como a de 10 mil barbatanas de tubarões em um único estabelecimento comercial. O flagrante só foi possível porque ativistas se fizeram passar por empresários do ramo da pesca e dessa forma conseguiram adentrar, a muito custo, no local. Por  ações de investigação e denúncia similares, 800 ativistas foram mortos na última década.

Já há uma redução de 90% da população dos tubarões no mundo, nos dias atuais.

Trata-se de um negócio bilionário para as empresas "mortíferas" que desprezam o que há de maior valor, a vida! A vida dos oceanos, dos peixes, dos recifes, do ar que respiramos está tudo conectado! Nossa espécie está acabando com a vida marinha do mesmo modo como está a esgotar os nossos próprios recursos de água, comprometendo a qualidade do ar e promovendo as mudanças climáticas que podem vir a extinguir a raça humana! É um absurdo e incongruente raciocínio de prorrogar a exploração e com isso acabam por acelerar cada vez mais a possibilidade de uma 6ª era da extinção! 

Até 2048, todas as zonas de pesca estarão mortas, os pulmões e o coração da Terra!

A contar pelos dados de hoje, 1.000x mais do que em qualquer outra era, em 100 anos, metade de todas as espécies selvagens estarão extintas.

10.000 espécies desaparecem do planeta a cada ano, devido à ação de uma única espécie, a (des)humana.

Estamos agora perante a 6ª extinção em massa da história cosmológica.

Existem 7 mil espécies de sapos e 340 espécies de tartarugas. 
Metade de toda essa população está em extinção.

A água é o novo petróleo. Em breve, as nações vão iniciar guerras por ela.
Aquíferos subterrâneos que levaram milhões de anos para se encher agora estão secos.
São necessários 50 mil litros de água para produzir um quilo de carne.

O dióxido de carbono, o metano e o óxido nitroso da indústria de gado estão matando nossos oceanos com zonas mortas acídicas (ácidas) e hipóxicas (baixo teor de oxigênio)!

Metade do dióxido de carbono é retido nos oceanos e ocasiona a chamada acidificação dos oceanos.

90% do peixe pequeno é triturado para servir de alimento para o gado!
As vacas vegetarianas são atualmente as maiores predadoras dos oceanos. 
(involuntariamente)
Os oceanos estão morrendo.

"Na realidade criar animais para abate consome tantos recursos naturais que fazer escolhas veganas é uma das coisas mais poderosas que se pode fazer enquanto indivíduo para ajudar a salvar o planeta". Philip Wollen

O tempo está se esgotando e os recursos naturais também e se esses negócios são lucrativos é porque há demanda. mais uma vez a que ser dito, se o consumidor se importar e comprometer-se com a origem de seus alimentos, dando preferência por uma alimentação de origem vegetal é possível desacelerar essa corrida para a extinção e promover novos pilares para uma nova era de respeito e preservação!

Todos os dados aqui apresentados tem como fonte declarações de Philip Wollen e o recente documentário Racing Extinction (Oceanic Preservation Society) apresentado pelo Discovery Channel.



Acidificação do oceano diminui instinto de sobrevivência dos peixes nos recifes de corais



Dizy Ayala
Defensora dos Direitos dos Animais, 
Formanda em Publicidade e Propaganda -  
Universidade do Vale do Rio dos Sinos - Unisinos
Blogueira, Revisora, Escritora, Vegana.
Página no facebook

Ação pelos Direitos dos Animais  

3 comentários: